Archive for the ‘Pancadas’ Category

Pancadas (19)

11/11/2012

O Grande Prêmio de Mônaco, disputado nas estreitas ruas do principado de mesmo nome, em Monte Carlo, é conhecido pela forte freada da primeira curva, a St. Devote, onde é normal faltar espaço pra todo mundo.

Em 1980 não foi diferente. A corrida daquele ano ficou célebre pelo espetacular acidente entre Derek Daly que atingiu a Alfa Romeo de Bruno Giacomelli, catapultou a Tyrrell do primeiro em direção aos céus.

Daly, sem poder fazer mais nada, aterrisou sobre o incrédulo Jean-Pierre Jarier e a McLaren de Alain Prost. Na pancada todos os quatro pilotos ficaram de fora. Jan Lammers também vítima da encrenca conseguiu prosseguir depois de visitar os pits e sofrer reparos em sua ATS.

Veja que lindo.

Pancadas (18)

05/11/2012

Hoje vamos com uma pancada fresquinha, acontecida já neste domingo. Pilotando uma lamentável HRT, Narain Karthikeyan enfrentava problemas hidráulicos. O sistema hidráulico em questão, é bom saber, controla praticamente tudo num carro de Fórmula 1. Assim, o indiano da nanica equipe espanhola perdeu as funções do acelerador, volante, e arrastava seu carro para os pits. Esta foi a causa do acidente medonho que vemos aqui.

Nico Rosberg, que também tem sua cota de responsabilidade por ter vacilado ao aproximar-se tanto de um carro tão mais lento e num ponto crítico da pista, quase atravessou o bólido da frente, e o acidente não feriu ninguém, mas Karthikeyan entra para a turma dos quase decapitados de 2012, ao lado de Fernando Alonso, que em Spa-Francorchamps esteve perto de ser guilhotinado por Romain Grosjean.

Pancadas (17)

23/10/2012

Esta foi uma Pancada de respeito. Interlagos, 2003. Chovia, e a corrida tinha contornos caóticos. A curva do Sol transformara-se num páteo de seguradora, com meia dúzia de carros parados depois de escapar no asfalto encharcado.

As condições da pista variavam minuto a minuto, e a 17 voltas do final, Mark Webber, então correndo pela equipe Jaguar, perde o controle de seu carro na saída da Curva do Café, que dá acesso à Reta dos Boxes, e atinge a barreira de pneus.

O impacto enche a pista de terra, pedaços de carro e especialmente pneus da dita barreira.

Fernando Alonso, em sua terceira temporada, a primeira pela Renault, vem logo atrás, pela subida dos boxes, e percorre a mesma Curva do Café de pé embaixo. Quando conclui o contorno encontra pelo caminho um desses pneus. O impacto é assombroso, e a pista fica de tal forma obstruída pelos destroços dos dois acidentes, que a prova é interrompida com bandeira vermelha, encerrada bem antes do número de voltas previsto.

Pancadas (16)

09/10/2012

Heidfeld atinge o medical car.

A pancada de hoje não foi exatamente forte. Mas foi cômica, e poderia ter sido trágica.

Na sessão de warm up do Grande Prêmio do Brasil de 2002, Enrique Bernoldi (é sem H, portanto poupemos o autor), acidentou-se na saída do S do Senna. Os fiscais deram bandeira amarela no trecho, e todo mundo reduziu a velocidade. Mas parece que nem todo mundo percebeu…

No vídeo é possível ver Schumacher, à época com a Ferrari, desviando em cima da hora. Nick Heidfeld, entretanto, não pareceu dar muita bola para a sinalização aflita dos marshalls, e como o carro batido estava na trajetória de saída do S, onde também parou o medical car, os elementos para uma trapalhada fenomenal estavam postos à mesa.

O piloto alemão da Sauber ainda achou um caminho por onde passar, entre o carro e o guard rail.

O problema foi que o piloto do carro médico, o brasileiro ex-Fórmula 1, Alex Dias Ribeiro, juntamente com o Dr. Sid Watkins descia naquele exato momento para atender Bernoldi.

Quase que Alex é atropelado pela Sauber.

No fim ninguém se machucou, e sobrou apenas o momento tragi-cômico para contar a história.

Pancadas (15)

18/09/2012

Grande Prêmio de Portugal, 1992, parte final da corrida. Gerhard Berger da McLaren Honda é perseguido por Ricardo Patrese da Williams Renault.

Ao entrar na reta dos boxes, o italiano do carro azul e amarelo cola na traseira de Berger, buscando aproveitar o vácuo gerado pelo carro da frente. Tudo seria normal, se não houvesse um porém: em dado momento Berger freia, pois entrará nos boxes, e Patrese, embutido na trasei da McLaren não tem tempo de reagir.

O resultado é uma assustadora batida, da qual Patrese saiu andando, mas que poderia ter lhe custado caro.

Pancadas (14)

05/09/2012

Cidade do México, 1988, e a Fórmula 1 passa pelas terras aztecas para seu Grande Prêmio no quente e ondulado circuito Hermanos Rodriguez.

Ao encerrar a curva peraltada o francês Phillipe Alliot, pilotando pela extinta equipe Larrouse perde o carro, e de forma repentina é projetado em direção ao muro interno, que separa a pista dos boxes.

O que acontece em seguida é impressionante. Me pergunto até hoje se alguém ali no pitwall não sofreu nenhum ferimento.