Archive for the ‘Interlagos em momentos’ Category

Interlagos em momentos (5).

24/11/2012

Felipe Massa chegou ao Brasil em 2008 com uma enorme desvantagem. Para ser campeão precisava vencer e contar com que Lewis Hamilton não chegasse além do sexto lugar.

O brasileiro dominou o final de semana inteiro. Aí choveu, e numa corrida quase caótica de repente um jovem alemão de nome Sebastian Vettel roubou o quinto lugar do outro candidato ao campeonato – Lewis Hamilton. O então desconhecido Vettel jogou o inglês da McLaren para o sexto posto, e de repente o impossível tornou-se quase real.

Massa cruzou a linha de chegada pra vencer a corrida e Hamilton mais atrás abriu a última volta em sexto lugar. Timo Glock o quarto colocado arrastava-se com pneus de piso seco, e a chuva apertou. Na última curva, na subida para a Junção, Vettel e Hamilton alcançaram-no e passaram sem dificuldade pela Toyota de Glock, tirando de Massa o campeonato. Um final digno de Hollywood.

Anúncios

Interlagos em momentos (4)

24/11/2012

Rubens Barrichello, hoje já não mais correndo, apesar de jamais ter vencido no Brasil, protagonizou alguns momentos de grande emoção no asfalto paulistano. Um deles foi a pole position de 2004. O carro era fantástico, o brasileiro estava pilotando demais naquele ano – tanto que foi vice campeão – e não deu outra. Uma volta matadora.

 

Interlagos em momentos (3)

23/11/2012

Senna em 1993 no Brasil. O motor morre na volta depois da bandeirada, e a torcida invade a pista. No braços do povo, literalmente. (infelizmente não existem fotos em boa qualidade)

Num esporte distante como a Fórmula 1, em que o contato dos torcedores e fãs com os protagonistas do esporte é raro, para não dizer nulo, momentos como o da foto acima são emblemáticos.

Não tenho notícia de outro piloto comemorando tão perto de sua torcida uma vitória como a ocorrida aqui em São Paulo, no Grande Prêmio do Brasil de 1993. Ali o extrato de uma histeria coletiva em sua máxima dimensão.

Um herói nacional literalmente nos braços do povo. Às favas com a segurança, o risco aos carros pedestres e aos pilotos. A verdade é que em alguns momentos as cautelas de praxe são mera bobagem.

Procurei outras edições, mas esta apesar de não ter o áudio é a mais completa.

Senna largou em terceiro, o favorito era Alain Prost, que com um carro muito superior, projetado veja só – por Adrian Newey, não tinha adversários para a corrida.

Mas então choveu. Aquelas tempestades tropicais bem conhecidas de quem mora na Paulicéia. E então tudo mudou. A edição traz todos os momentos da corrida, inclusive o da foto acima.

Interlagos em momentos (2)

23/11/2012

Na sequência da pole-position cravada no sábado, Ayrton Senna largou para a corrida no domingo como favorito. Em condições normais não teria vencido a corrida, pois as Williams pareciam contar com um carro mais eficiente. Mas ali não falávamos de condições normais, por várias razões.

O rival era Nigel Mansell, alguém desprovido do equilíbrio necessário para enfrentar um piloto como Senna. O inglês trapalhão ia vencer a corrida, não há dúvidas, mas cometeu um erro infantil, rodou e jogou pela janela a chance de estragar a festa do brasileiro. Além disso, Senna estava com os fracassos de 88, 89 e 90 atravessados na garganta.

Nas últimas 10 voltas, é possível ver (e ouvir) no vídeo, que seu carro não tinha mais condições de corrida. Nelson Piquet classificou como cascata a história de que Senna estava sem 5 marchas no final da corrida. Pois bem. Eu não advogo por ninguém, mas o áudio desta edição abaixo, não nos deixa mentir. Veja como nas saídas de curva o carro de Ayrton tem uma retomada lenta e bem diferente do que estamos acostumados a ver em carros de corrida.

Ayrton venceu, o resto é história.

(Conveniente ressaltar que o tom de cheerleader da narração não faz parte do recado deste post. Tampouco a repetição frenética do nome estrangeiro do diretor de prova. Pra que isso meu Deus?)

Interlagos em momentos (1)

22/11/2012

De hoje até o domingo da corrida no Brasil, vamos com uma série de momentos épicos que cercam a história do Grande Prêmio do Brasil. O primeiro, é a pole position para aquela que depois confirmou-se como a primeira vitória de Ayrton Senna no Brasil.

De encher os olhos. O autódromo parecia que ia desabar. Me lembro como se fosse hoje, grudado na televisão.